SPI realizou 18ª webinar para discutir avanços no diagnóstico e tratamento da Tuberculose Entre os assuntos, também foi discutido qual o papel do IGRA (QuantiFeron-TB)

Na última terça-feira (10), a Sociedade Paulista de Infectologia deu continuidade à ação: "Terças-feiras com a SPI", que passou a trazer assuntos não só sobre a Covid-19, mas também outros relevantes para a infectologia. O tema desta 18ª edição foi “Avanços no diagnóstico e tratamento da Tuberculose. E qual o papel do IGRA (QuantiFeron-TB) no diagnóstico?”, e a sessão coordenada pelo Professor Associado e Livre-Docente da Disciplina de Infectologia do Departamento de Medicina da Unifesp e Presidente da SPI, Dr. Eduardo Medeiros.

A primeira apresentação, feita pela infectologista do Hospital 9 de Julho e responsável pela unidade terciária de atendimento a coinfectados por HIV e Tuberculose do Centro de Referência e Treinamento em DST Aids do Estado de São Paulo, Dra Sumire Sakabe, abordou o que mudou na epidemiologia da Tuberculose no Brasil com a pandemia de Covid-19. Em seu conteúdo, a especialista contextualizou as semelhanças com o novo Coronavírus e mostrou, por meio de números, o impacto da Covid-19, da Tuberculose e do HIV no mundo, além da queda mundial no número de diagnósticos de TB também por conta da pandemia.

Ela também abordou sobre o uso do teste rápido molecular Xpert MTB/RIF Ultra, indicações para o uso da rifabutina, tratamento de Tuberculose latente em pessoas vivendo com HIV e os grandes avanços no tratamento e diagnóstico da Tuberculose.

Em seguida foi a vez da infectologista da Unidade de Transplante Renal do HCFMUSP, coordenadora Médica da Infectologia – DASA e membro do Grupo de Infecção em Paciente Imunodeprimido do HCFMUSP, Dra. Lígia Pierrotti,  fazer uma apresentação sobre “Impacto do IGRA (QuantiFERON-TB) no diagnóstico de Tuberculose latente e nos pacientes imunodeprimidos”.  A especialista fez uma introdução sobre os principais aspectos da Tuberculose em pacientes imunodeprimidos, como funciona e quais os desafios para realizar o diagnóstico da doença latente, performance e particularidades do IGRA.  

Além disso, apresentou diversos estudos relacionados a custo-benefícios e finalizou o material com recomendações importantes para a área.

Para assistir a essa e todas as outras webconferências na íntegra, CLIQUE AQUI.
 
As "Terças-feiras com a SPI" acontecem virtualmente, a 18ª teve a duração de 1h e 40 minutos e contou com a participação de 150 espectadores, que puderam tirar suas dúvidas perguntando sobre os assuntos em questão.   

Fique ligado, pois na próxima webconferência falaremos sobre “Mulheres em Idade Fértil – HIV” e ainda teremos mais outros importantes encontros virtuais com especialistas para discutir questões ligadas à infectologia.  A SPI agradece a participação de todos!





Veja todas Notícias da SPI