Uso de novos antibióticos é tema no 11º Congresso Paulista de Infectologia

Os antibióticos são uma categoria de fármacos imprescindíveis, pois sem eles haveria perdas na expectativa de vida de pacientes que foram conquistadas ao longo dos anos. Porém, a potência desses medicamentos está ameaçada pela resistência bacteriana, fator considerado um problema de saúde pública de abrangência global.


É esperado que milhões de pessoas nas próximas décadas estejam sob risco de adquirir infecções bacterianas intratáveis. Problema que poderá ser mais sentido nos países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, como o Brasil.
Entretanto, depois de cerca de duas décadas sem lançamentos impactantes na área de antibioticoterapia, há alguns novos antibióticos recém liberados para uso clínico que realmente podem melhorar o arsenal terapêutico para o tratamento destas infecções.


“A Eravaclina, o Meropenem/Varbobactam, o Ceftalozane/Tazobactam e a Ceftazidima/Avibactam foram lançados recentemente e vão aumentar as possibilidades de tratamento para infecções graves por bactérias pan-resistentes, normalmente associadas às infecções hospitalares. O Ceftalozone/Tazobactam e a Ceftazidima/Avibactam também já foram aprovados para uso clínico no Brasil”, explica o médico infectologista em São José do Rio Preto, Cláudio Penido Campos Junior.





Veja todas Notícias da SPI