CONVITE: Lançamento do 1º Ensaio Clínico de um Soro contra o Veneno de Abelhas (Estudo APIS) - 08/Abr/2016

Caros Colegas,

Em nome da UNESP - Faculdade de Medicina, orgulhosamente convido:

Evento: Estudo APIS - Lançamento Oficial do 1º Ensaio Clínico de um Soro contra o Veneno de Abelhas
Data e Horário: 08/Abr/2016 - 10:00
Local: UNESP (Reitoria) – Rua Quirino de Andrade, 215 - São Paulo/SP

Para os que não puderem comparecer:
Transmissão On-Line ao vivo: transmitirnaweb.com.br

Saiba mais sobre o Estudo APIS: drbarbosa.org
Entrevista TV Globo: g1.globo.com 

Contexto

Os acidentes causados por abelhas afetam mais de 10 mil pessoas todo ano no Brasil, causando oficialmente 40 óbitos, mas estimativas apontam que esse número pode ser quatro vezes maior. Por ser importante agravo de Saúde Pública, e não ter tratamento específico, há décadas vários institutos de pesquisa vem trabalhando na tentativa de produzir um soro que pudesse servir de antídoto contra esse veneno.

Finalmente há cerca de quatro anos, um consórcio entre o CEVAP UNESP e o Instituto Vital Brasil chegou à um produto que pudesse ser experimentado quanto à segurança e eficácia em seres humanos. Foi então que, em 2013, liderado pela Faculdade de Medicina da UNESP, e por sua Unidade de Pesquisa Clínica (UPECLIN), o Estudo APIS (Ensaio clínico fase I/II, aberto, não randomizado, para avaliar a segurança, a capacidade neutralizante e confirmar a menor dose eficaz do soro antiapílico para o tratamento de múltiplas picadas de abelhas africanizadas Apis mellifera) foi delineado e entregue para análise das instâncias regulatórias no Brasil, o sistema CEP-CONEP e a ANVISA.
 
O Estudo APIS tem como objetivo principal verificar a segurança do produto, ou seja, analisar se ele não causa eventos adversos graves que possam ser mais importantes que seu benefício. Como um soro contra o veneno de abelhas nunca foi testado em seres humanos, é fundamental que isso seja feito. O objetivo secundário é verificar a eficácia, ou seja, se ele protege e evita mortes em pacientes vítima de múltiplas picadas de abelhas. O APIS é um estudo multicêntrico e vai recrutar 20 pacientes em três importantes instituições de ensino e pesquisa no Brasil: UNESP (Botucatu/SP), UFTM (Uberaba/MG) e UNISUL (Tubarão/SC).

Quase três anos de intensa gestão técnica e política foram necessários para que finalmente o Estudo APIS fosse completamente aprovado para início, o que aconteceu em fevereiro de 2016. A perspectiva é que os primeiros pacientes sejam incluídos ainda no primeiro semestre de 2016, e a previsão de duração do estudo é de dois anos.

Conheça a equipe central do Estudo APIS:

COORDENADOR GERAL DO PROJETO: Prof. Titular Dr. Benedito Barraviera (UNESP)
PESQUISADOR PRINCIPAL: Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa (UNESP)
PESQUISADORES ASSOCIADOS:
Prof. Dr. Dalmo Correia Filho (UFTM)
Prof. Dra. Fabiana Schuelter Trevisol (UNISUL)
Prof. Dr. Rui Seabra Ferreira Junior (CEVAP)
Dra. Lucilene Delazari dos Santos (CEVAP)
Dra. Natália Bronzatto Medolago (UPECLIN)
Dra. Márcia Tonin Rigotto Carneiro (UPECLIN)

Sua presença trará imensa satisfação aos membros do Estudo APIS.

Um forte abraço,

​​Alexandre Naime Barbosa
Professor Doutor - Infectologia
UNESP - Faculdade de Medicina

drbarbosa.org



Veja todos os Eventos da Infectologia