12º Congresso Paulista de Infectologia virtual supera todas expectativas pela qualidade científica

Entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro, aconteceu de forma virtual o 12º Congresso Paulista de Infectologia, evento considerado um dos maiores de atualização científica em doenças infecciosas e parasitárias ao lado do Congresso da Sociedade Brasileira de Infectologia. Na ocasião, contamos com o recorde da participação de 1.915 espectadores, focados em discutir e aprimorar os temas mais relevantes da especialidade.

E o encontro teve início com 10 cursos pré-congressos, oferecidos gratuitamente aos inscritos, e com temas diversificados, entre eles: Antimicrobial Stewardship e Antimicrobianos na prática clínica, Infecções em imunodeprimidos, Sepse: Desafios para o diagnóstico e tratamento, São Paulo HIV Clinical Forum – 2020: Optimizing Treatment (Virology Education), Imunizações e medicina dos viajantes (Chancelado pela SBIm), entre outros.

“Em 2020, foram muitas as mudanças na forma de organizar o Congresso da Sociedade Paulista de Infectologia. Não havia experiência acumulada para facilitar o trabalho. Isso exigiu muito empenho, discussão e entrosamento. O resultado foi um congresso que surpreendeu a todos pela qualidade. Particularmente, fui um dos responsáveis pelo programa sobre a infecção pelo HIV e pelo curso pré-congresso sobre hepatites virais. Parabenizo a cada um pelo sucesso e pelo trabalho em equipe”, explica o Professor de Infectologia da EPM-Unifesp, Dr. Paulo Abrão Ferreira, que fez parte da comissão organizadora e científica.

A abertura oficial do evento aconteceu no dia 1 de dezembro e contou com a participação do presidente da Sociedade e do Congresso Paulista de Infectologia, Dr. Eduardo Medeiros, do presidente da Comissão Científica, Dr. Carlos Magno Fortaleza, do presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Dr. Clóvis Arns da Cunha, do presidente da Associação Paulista de Medicina José Luis Gomes do Amaral e do Secretário de Estado da Saúde de São Paulo, Jean Carlo Gorinchteyn.



O destaque da abertura ficou por conta do Secretário de Estado da Saúde de São Paulo, que fez questão de dar início a sua apresentação falando sobre a importância dos médicos infectologistas e do Sistema Único de Saúde (SUS), que na sua visão sempre foi esquecido e banalizado, e da obrigação de mantê-lo atuante. O Secretário da Saúde fez uma apresentação com o tema: “Como o Estado de São Paulo está enfrentando a pandemia?", com um panorama da pandemia na região, como foi feito o uso de leitos e respiradores, as restrições de circulação de pessoas na cidade, testagens e os passos com a vacina Coronavac.

Na abertura, também foi anunciado o ganhador do prêmio Sociedade Paulista de Infectologia de Liderança em Testes Diagnósticos Sindrômicos de Doenças Infecciosas, patrocinado pela BioFire – bioMérieux, de 2 mil dólares concedido por contribuições aos testes sindrômicos de doenças infecciosas. A premiação foi dada a Felipe Gualberto e José Ernesto Vidal, com o tema: abordagem sindrômica do diagnóstico da meningite tuberculosa e outras doenças neurológicas em pacientes com HIV. Lembrando que neste ano tivemos outro recorde: o envio de 583 trabalhos científicos, sendo eles 127 sobre a Covid-19.

Durante os outros três dias do Congresso foram realizadas apresentações de temas atuais, que contaram com convidados de altíssima capacidade técnica e científica, entre eles, dez internacionais, incluindo a programação do Virology Education, e cerca de 150 nacionais, a maior parte paulistas pelo perfil do congresso, que são referências em suas áreas de pesquisa, assistência e ensino. A programação científica foi dividida por grandes áreas em três salas, onde foi possível escolher entre conferências, mesas-redondas, controvérsias, simpósios satélites e temas livres com diversos assuntos, tais como: vacina para Covid-19; Cura do HIV; Infecção bacteriana em transplante de medula óssea; Estratégias inovadoras para o controle de bactérias multirresistentes, entre outros. Além disso, aconteceram palestras para os lançamentos dos livros: Tratado de Infectologia, de Roberto Foccacia e Ricardo Veronesi, e a obra Histórias da pandemia, de Stefan Cunha de Ujvari.

Segundo o presidente da Sociedade Paulista de Infectologia, Prof. Eduardo Alexandrino Servolo de Medeiros, o 12º Congresso Paulista de Infectologia foi a conclusão de mais um trabalho muito importante para a SPI. “Acredito que conseguimos cumprir a nossa missão e finalizamos o evento com um enorme ganho científico e uma maior experiência. Além disso, é importante ressaltar o superavitário financeiramente, pois este é um legado que essa diretoria deixa para as próximas e o que nós conseguimos de verba seja aplicado em educação continuada e nos diversos processos que são fundamentais para uma Sociedade científica. Muito obrigado a todos que trabalharam para o sucesso deste evento e a você que participou também”, finalizou o presidente.

 Assista ao vídeo de agradecimento feito pelo presidente: https://bit.ly/3qI6XHG

 
Confira alguns depoimentos sobre o evento:

“Claro que sentimos saudades do encontro presencial e das conversas informais com os amigos infectologistas que sempre encontramos neste evento! Mas, o congresso virtual proporcionou palestras de altíssimo nível científico, muito didáticas, promovendo atualização em um momento tão desafiador para a especialidade! Houve espaço para debate e troca de experiências, com uma plateia virtual tão participante quanto a presencial. Parabéns aos idealizadores e organizadores que aceitaram o desafio de inovar e realizaram um Congresso virtual extraordinário!” – Dra. Maura Salaroli de Oliveira - Gerente médica da CCIH do hospital Sírio Libanês e médica do GCIH do HC FMUSP.

“Esse evento se tornou fundamental para a comunidade que lida com doenças infecciosas e condições afins em todo o estado. Em minha opinião, esta importância ultrapassa, em muito, as fronteiras estaduais. O papel da SPI na gestão e organização deste congresso foi essencial e possibilitou discussões de altíssimo nível, com inúmeras contribuições nacionais e internacionais de ponta. Diria mais ainda, o conhecimento agregado no encontro foi compartilhado de forma simples e acessível por especialistas verdadeiramente envolvidos com as mais relevantes questões da área em nosso país!” – Dr. Carlos Kiffer – Médico infectologista da Unifesp e Rede D'Or São Luiz.

 “Acompanhar o 12º Congresso Paulista de Infectologia da SPI foi uma oportunidade única, em dias difíceis de Pandemia! Nada tirou o brilhantismo do evento, aulas de altíssimo nível, com possibilidade de interação com grandes experts! Parabéns ao querido presidente, a toda a organização e aos palestrantes!” – Dra. Luciana Peixoto Finamor - Médica do setor de pesquisa Clínica da Oftalmologia Unifesp.

 Em breve, as apresentações do 12º Congresso Paulista de Infectologia estarão disponíveis no site da SPI, na aba Educação Continuada.





Veja todas Notícias da SPI