Terças-feiras com a SPI: discutindo a Covid-19 Vacinas para prevenção da infecção pelo SARS-CoV-2 (COVID-19)

Os trabalhos científicos para a produção de uma imunização eficaz contra o SARS-CoV-2 têm sido intensos e surpreendentementes rápidos. Por isso, o “Estado da arte das vacinas para combater o coronavírus” foi o oitavo tema da ação “Terças-feiras com a SPI: discutindo a Covid-19” realizado pela Sociedade Paulista de Infectologia. O encontro virtual, que aconteceu no dia 21 de julho, teve a duração de 1 hora e 40 minutos e contou com a participação de 379 espectadores, que interagiram com os palestrantes fazendo perguntas sobre o assunto.

A sessão foi coordenada pelo Presidente da SPI, Dr. Eduardo A. Servolo de Medeiros, que também é médico infectologista e Professor Associado da Disciplina de Infectologia da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp).

A primeira apresentação foi do Diretor Médico de Pesquisa Clínica do Instituto Butantan, Dr. Ricardo Palacios. Em seu conteúdo, o especialista explicou os passos para o desenvolvimento das imunizações durante uma pandemia e mostrou uma linha do tempo com o avanço delas no combate de diversos vírus, como o ebola e a poliomielite. Além disso, comentou sobre a chegada da vacina chinesa com vírus inativado da Sinovac, que será testada no Brasil pelo Instituto Butantan e destacou em quais grupos será administrada, o cronograma de aprovação que ela passou em questão regulatória e ética, entre outras questões. E, por fim, o médico encerrou sua participação de maneira positiva em meio ao cenário de testes, mostrando a foto da primeira voluntária brasileira recebendo a vacina contra o novo coronavírus.

Em seguida foi a vez da Investigadora e Coordenadora do CRIE/Unifesp, Profa. Lily Yin Weckx palestrar. Sua apresentação teve como base a vacina de Oxford, tecnologia que envolve um vetor viral (Adenovírus de Chimpanzé), que está sendo conduzido em São Paulo, coordenado  pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Dois outros centros, um no Rio de Janeiro e outro em Salvador, Bahia também estão aplicando a vacina. A Professora abordou em seu conteúdo como foram feitos os estudos pré-clínicos, explicou por que o Brasil foi escolhido para o teste e quais são os critérios para poder receber o fármaco. Além disso, a especialista também apresentou um recente estudo publicado na revista científica The Lancet, que demonstrou que é segura e produziu resposta imune em ensaios clínicos de estágio inicial.
 

O material completo está disponível AQUI

E, devido ao sucesso, a ação terá continuidade durante o mês de agosto, ocorrendo no mesmo formato, como um benefício oferecido pela Sociedade Paulista de Infectologia para os associados e profissionais da saúde. Todos os conteúdos são gravados e estão disponíveis em nosso site, na seção de Educação Continuada.

Para saber mais sobre a programação, acesse: https://bit.ly/30fgTvK





Veja todas Notícias da SPI