SPI se posiciona sobre a alteração do Departamento de Aids

A Sociedade Paulista de Infectologia vê com muita preocupação a alteração do Departamento de IST, Aids e Hepatites virais que passou a ser denominado “Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis”, conforme o Decreto número 9.795, de 17 de maio de 2019.

O Programa Brasileiro de Aids, bem como todo o trabalho que tem sido desenvolvido para a cura dos pacientes com hepatites crônicas virais, são exemplos de políticas de saúde pública bem-sucedidas pelo Brasil e reconhecidas internacionalmente. O oferecimento do tratamento antirretroviral de forma universal e gratuito, incluindo a profilaxia pré-exposição ao HIV, é um grande exemplo para países que lutam contra a epidemia de infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Enquanto muitos países, a exemplo dos Estados Unidos, divulgam políticas para eliminar a transmissão do HIV nos próximos 10 anos, estamos vivenciando um retrocesso no Brasil.

A Sociedade Paulista de Infectologia vem desenvolvendo diversas ações, como fóruns de discussão, documentos técnicos e alertas para que sejam fortalecidas as campanhas de prevenção da transmissão do HIV e garantir o diagnóstico rápido, tratamento adequado e a profilaxia pré-exposição ao HIV e se solidariza com as entidades que defendem a manutenção do Departamento de IST, Aids e Hepatites virais.

Recentemente, divulgamos um documento científico que reflete e se posiciona sobre os caminhos a serem seguidos no enfrentamento do HIV. O material foi elaborado após o I Fórum de HIV e doenças associadas, que aconteceu em fevereiro deste ano, em São Paulo. Este material destaca os temas prioritários e porque não devemos recuar nas políticas implementadas ou em fase de implantação sobre o HIV, já que o problema segue crescendo, com novos casos, sobretudo em populações mais vulneráveis. Você pode conferir o material em: https://bit.ly/2Gi5dzu
 

Diretoria da Sociedade Paulista de Infectologia

Entidades como Articulação Nacional de Luta contra a Aids (Anaids), Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (ABIA), Fórum de ONGs AIDS/SP (FOAESP), Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS/RS (GAPA/RS) e Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS (RNP+Brasil) divulgaram um manifesto sobre o assunto. Confira o material em: https://bit.ly/2YGK0FZ





Veja todas Notícias da SPI