Infectologista faz alerta sobre doenças causadas por enchente

As principais doenças decorrentes dos alagamentos são leptospirose, hepatite A, febre tifoides e doenças diarreicas

São Paulo, janeiro de 2019 - O contato com enchentes, causadas pelas fortes chuvas que são comuns nesta época do ano, podem acarretar em uma série de problemas de saúde. Entre as principais doenças está a leptospirose, que pode ocorrer depois do contato com a urina de ratos contaminados com a bactéria leptospira. O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde aponta que o Brasil apresenta cerca de 4 mil casos confirmados da doença, que apresenta taxa de letalidade de 12 a 40%, conforme a região e condições de assistência.  No Nordeste, Pernambuco lidera com 139 casos; o Ceará em segundo, com 44; e a Bahia, com 40 ocorrências. No Brasil, São Paulo soma 317 registros positivos para a doença.

A médica infectologista e membro da diretoria da Sociedade Paulista de Infectologia, Lucy Vasconcelos, destaca outras doenças infecciosas também preocupantes. “A hepatite viral A e a febre tifoide. Além disso, as doenças diarreicas agudas, que são adquiridas por meio do contato ou ingestão da água e dos alimentos contaminados, também requerem cuidados. Lembrando que a Hepatite A pode ser protegida por vacinação, a qual é segura e eficaz.", alerta Lucy.

 

Outro ponto destacado pela especialista é que nesse mesmo período também é comum ouvir falar mais frequentemente de casos de Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, todas transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. "Como ele se desenvolve em água parada, mesmo limpa, é preciso intensificar os cuidados com a casa e o quintal para evitar os criadouros”, lembra a infectologista.

 

Para evitar as doenças infecciosas causadas pelos alagamentos, a especialista indica alguns cuidados gerais:

 - Evite transitar em ruas alagadas;

- Se sua casa costuma inundar, prepare lugares altos ou prateleiras para guardar itens de maior valor;

 - Evite consumir água ou alimentos que tiveram contato com as águas da inundação, pois eles podem estar contaminados;

 - Lave e desinfete os objetos que tiveram contato com as águas da enchente;

- Use repelente diariamente e nunca deixe água parada, para evitar a proliferação do Aedes Aegypti.

“Os sintomas mais comuns para identificar o contágio dessas doenças são: náuseas, vômitos, manchas pelo corpo, febre e diarreia. Quando não tratadas, essas enfermidades podem ser fatais. Por isso, quem manifesta dois ou mais desses sinais deve procurar rapidamente ajuda médica”, finaliza a especialista.





Veja todas Notícias da SPI