Caiçarão 2018: infectologista fala sobre epidemiologia das infecções na população geriátrica

No dia 18 de agosto aconteceu em Santos, no anfiteatro da Associação Paulista de Medicina, o Caiçarão 2018. A terceira edição do evento gratuito teve como tema principal “Infecções em idosos, aspectos práticos e essenciais”, escolhido principalmente porque quase 20% da população da Baixada Santista têm mais de 60 anos.

Na ocasião, um dos temas relevantes foi apresentado pelo infectologista Juvêncio Furtado: epidemiologia das infecções na população geriátrica. Segundo o especialista, a população de idosos no Brasil é representada por quase 30 milhões de pessoas, com mulheres em sua maioria: cerca de 16,9 milhões. "As infecções estão entre as doenças que mais afetam os idosos e são as maiores causas de hospitalização desse público. Entre as mais comuns estão: infecção do trato urinário, pneumonia, infecções de pele e partes moles (úlceras de pressão), bacteremia, endocardite e meningite”, comenta Furtado. 

A imunossenescência também foi outro tema bastante discutido durante o evento. Considerado um fator de mortalidade em idosos, o envelhecimento imunológico envolve a perda da capacidade do organismo em combater infecções e a perda à memória imunológica, especialmente a vacinação.

Após os 60 anos, a glândula chamada de timo, responsável pela maturação de linfócitos (glóbulos brancos), sofre uma degradação. A decaída no amadurecimento das células de defesa do organismo torna o idoso mais suscetível à doenças, infecções e alergias. “É importante estar atento nos sintomas apresentados por idosos, já que infecções costumam ter manifestações diferentes. Nos idosos, a confusão mental e a hipotermia são os principais sintomas. Esses sinais atípicos podem interferir no diagnóstico de infecções graves, como a pneumonia.”, finaliza o especialista.





Veja todas Notícias da SPI